Urgência miccional Vontade súbita e inadiável de urinar

Este sintoma consiste na ocorrência de episódios de vontade súbita e inadiável de urinar, constituindo a base da síndrome de bexiga hiperativa.

Estes episódios podem ocorrer de modo espontâneo ou serem despoletados por alguns estímulos como o frio, mexer em água ou mesmo ouvir o ruído de água a correr ou também em situações específicas (como quando o doente está a introduzir a chave na porta de casa ou a chamar o elevador).  Ainda que estes estímulos possam sugerir que o problema é psicológico, na realidade o que existe é um processo patológico a nível da bexiga que é potenciado por estes fatores.


A urgência miccional é um sintoma que pode causar grande impacto na qualidade de vida dos doentes, principalmente quando se faz acompanhar de perda de urina (incontinência urinária de urgência) – o doente sente uma vontade incontrolável de ir urinar e não consegue chegar a tempo ao WC, podendo a perda ocorrer em grande quantidade.

Os doentes podem desenvolver um grande receio de que os episódios ocorram, podendo evitar deslocarem-se a determinados locais onde o acesso à casa-de-banho possa ser mais difícil. Adicionalmente, a urgência miccional leva o doente frequentemente a abandonar as suas atividades pessoais, sociais ou profissionais, podendo ser profundamente incapacitante (interromper jantares, reuniões, aulas ou ter que abandonar o posto de trabalho múltiplas vezes).


O diagnóstico é feito com recurso a um diário da bexiga (diário miccional), por vezes complementado com um estudo urodinâmico completo; poderão estar indicadas outras investigações para exclusão de patologia de base que possa ser responsável pelos sintomas (por exemplo, cálculos ou tumores da bexiga, em determinados casos).


Algumas medidas comportamentais e conservadoras podem reduzir o impacto e gravidade da urgência miccional enquanto sintoma essencial da bexiga hiperativa. Quando estas falham poderá estar indicada terapêutica farmacológica ou mesmo cirúrgica (como injeção intra-vesical de toxina botulínica ou neuromodulação de raízes sagradas)

Notas

1 — Os artigos publicados nesta biblioteca pretendem ser um meio de informação suplementar ao paciente e não substituem, de forma alguma, a consulta de um médico especialista que analise o seu caso específico;

2 — Os artigos publicados foram produzidos por especialistas que se baseiam nas recomendações e Guidelines de prática clínica da Associação Europeia de Urologia (EAU), à data da última revisão;

3 — Esta biblioteca encontra-se em processo de formatação para certificação pela HONcode Foundation (http://www.healthonnet.org/HONcode/Conduct.html);